Archive for the ‘Discos’ Category

Teresa Salgueiro

May 13, 2007

Há muito tempo que me cansei de ouvir Madredeus. Não é por nada, é só porque acho que o estilo está esgotado.

Eis que surge uma Teresa Salgueiro a solo, com um disco que me diz muito. Canções barsileiras dos anos 30/70.

O disco é bom, mas a Teresa devia saber que é muito difícil fazer melhor com temas como Inútil Paisagem ou Insensatez. A Elis e a Gilberto (Astrud) cantaram estas canções como se fossem feitas só para ser ouvidas na voz delas.

Bem conseguidos (quase todos os temas) não me consigo desligar da voz da portuguesa de Trás-os-Montes que fez furor no Brasil. A voz da da Teresa faz lembrar a Miranda e trás a memória de uma época de ouro da rádio (pelo menos no meu imaginário).

É a música brasileira desde Ary Barroso até chegar ao Chico, passando pelo Vinicius, pelo Tom Jobim, Dorival Caymmi, Pixinguinha e outros.
Gostei.

teresa.jpg

Advertisements

Dead Combo

March 9, 2007

Um dos tipos dos Dead Combo (o do chapéu) tinha (ou tem ainda, não sei) um filho(a) na escola onde andaram os meus filhos.

Lembro-me de o ver e de achar que era um personagem com graça. Uns tempos mais tarde, descobri que fazia parte dos Dead Combo que tinham lançado um disco (cd para os mais novos). Li sobre o disco no Público e percebi que a coisa devia valer a pena. Comprei, passei para o iPod e esqueci (tenho esta mania com os discos, livros e dvds. Compro e, mais tarde, ouço, leio ou vejo).

Ontem, no meu passeio matinal até ao office, resolvi ouvir o disco.

Rendi-me. Por identificação (que não me apetece explicar) à medida que o disco avança, lembrei-me dos filmes do David Lynch, do Tarantino, do Wim Wenders (só o Paris, Texas) e do Kusturica.

Depois a supresa. Muitos sons novos. Muita coisa nova (ouvir o som do amolador de facas e tesouras é uma coisa estranha e bonita).

É, sem dúvida, um dos melhores discos de 2006.

A obsessão foi de tal ordem que obriguei a J. e os miúdos a ouvirem o disco ao jantar.

Todos aprovaram.

Vão estar no Maxime, no próximo dia 17. Vou tentar ir.

dead-combo.jpg

Marisa

March 26, 2006

Ouvi os dois últimos discos da Marisa Monte e fiquei rendido.

São duas obras magníficas. Criativas e com uma sonoridade a fazer lembrar que ela faz ( melhor) música, mesmo quando está sozinha.

Dos dois, até agora,  gostei mais do Universo ao meu Redor.

Recomendo para quem gosta de mpb para além do óbvio.

 

 

 

disco_universo.jpg

disco_infinito.jpg

Evita

December 8, 2005

B00000B9FS.01.LZZZZZZZ.jpg
Havia, em casa dos meus pais, um disco com o musical Evita, Original London Cast Recording.

Na altura toda a gente cantava o ” Don´t Cry for me Argentina” e eu resolvi ouvir com atenção o disco todo. Descobri uma história magnífica de uma pessoa controversa. Fiquei fascinado pelo personagem.

O disco conta o percurso da senhora, amada por alguns, odiada por muitos. Desde os tempos em que era uma actriz de baixíssimo calibre ( dizem as más línguas) até à morte precoce ( o corpo dela foi roubado e só apareceu 17 anos depois).

Pelo meio, uma vida preenchida, com muito dinheiro, muito glamour e muito espectáculo. Um Peron que era o homem por detrás da mulher e que tenta reeditar, sem sucesso, o êxito Evita, anos mais tarde com outra senhora, uma Argentina cheia de desigualdades, uma manobra de charme na Europa ( quando esta ainda contava alguma coisa), alguma corrupção, alguns opositores fuzilados.

Curioso nesta ópera é o facto de ter por personagens principais a própria e o Guevara, a voz da sua consciência.

Comprei o disco e ainda é um prazer ouvi-lo.

A Madonna não fez melhor.