Archive for January, 2010

Pense no Haiti, Reze pelo Haiti

January 21, 2010

Não há como não ficar perturbado com as imagens que nos invadem o conforto das nossas casas e nos mostram a desgraça e tragédia de um povo que existe num país que não existe.

Lembro-me, muitas vezes da canção do Caetano que tem o nome do país que não existe.

Ao ouvir a letra – que aborda a violência policial no Brasil, no caso dos 111 presos, pretos ou quase pretos, pobres em todo o caso – não posso deixar de pensar que nós, os brancos ou os quase brancos, em todo o caso, mais favorecidos,  só nos lembramos dos haitis deste mundo nestas ocasiões.

Dirão: pelo menos ainda nos lembramos.

E eu respondo: Pois…

Aqui fica uma parte da letra do Caetano

111 presos indefesos, mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos
E quando você for dar uma volta no Caribe
E quando for trepar sem camisinha
E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui

Advertisements

As minhas filhas

January 20, 2010

Voltei para escrever sobre elas.

A mais velha pediu que voltasse a escrever. Não sei se ela vai ler este post, mas fazendo a vontade, aqui estou para ir dando continuidade a uma coisa que tem já uns anitos.

A outra, a R., está linda. Já fez um ano e dois meses e anda por todo o lado (começou a andar no dia do seu aniversário).

Fala pelos cotovelos (numa linguagem própria e para a qual não há dicionários) e tem uma especial propensão para a asneira (já decidimos que é pior que o do meio que era terrível).

Não tenho dúvidas – apesar da nossa vida estar caótica, mais do que q.b. – que não conseguimos imaginar a vida sem elas.

E sem o do meio, claro.