Archive for October, 2007

Cliché XXI

October 30, 2007

Estou à beirinha dos 40. Mesmo a deixar os 30. E a minha vida vai dar uma volta de 180º graus.

Não se preocupem. Não me vou divorciar, não ando a engatar miúdas de 20 (ou mesmo de 15), não pintei o cabelo, nem me passei a vestir como se tivesse 18 anos (na verdade, nunca me vesti como se tivesse 40).

Mas é uma data que me vai marcar. É, coincidentemente, um ponto de viragem na minha vida.

Crise?

Acho que não, mas as mudanças não se fazem sem dor.

Advertisements

Indignação

October 8, 2007

Na sexta-feira fomos jantar a casa da S. e do N. onde passámos um belíssimo serão (no sentido queirosiano do termo, mas sem recitais de poesia ou canto).

Fomos de metro para evitar, no regresso, ter de enfrentar a seca de não haver estacionamento (friday night fever). Optámos por regressar de táxi e, qual não foi o meu espanto quando nos deparamos com a avenida da Liberdade cortada. Não se podia passar porque estava tudo a posto para a grande festa de sábado, o aniversário da SIC.

Como havia um enorme engarrafamento, saímos do táxi e fomos a pé para casa, atravessando a avenida e desejando que chovesse torrencialmente no dia seguinte.

Não choveu no dia seguinte e tivemos de gramar o hino da SIC e a música de parabéns, em contínuo, desde as 14h até às 22h.

Não tenho nada contra a SIC desejo que contem mais 15 anos. Tenho sim contra a CML que autoriza o encerramento da avenida, sem avisar os moradores – afinal um pequeno pormenor sem importância -, e nos obriga a ouvir aquela chinfrineira durante o sábado inteiro.

É isto que chamamos progresso, modernidade e desenvolvimento?

Como é óbvio, no domingo, a avenida estava suja – mais do que é habitual.

Para espairecer tentei perceber o que se passa com o encerramento do Terreiro do Paço e verifiquei que é uma fraude. Uns tipos a fazer ioga e uma mesas com jogos de xadrez.

O povo prefere, obviamente, a festa da SIC com muitas Floribelas e outras belas. Porque é que não aproveitaram o encerramento do Terreiro do Paço para ali fazer a festa

Já agora, onde é que vai ser a festa da TVI? Sugiro o Palácio de Belém que tem um das melhores vistas do Tejo.

Portugal, Inglaterra e o circo

October 3, 2007

Confesso que já não tenho paciência para discutir – não o faço – ou ouvir falar do caso Maddie.

É quase impossível não ouvir a enésima teoria a favor ou contra os pais. Da criança, ninguém sabe.

A favor dos McCann, vi um reportagem da Sky News que passou na SIC e que é uma peça arrogante e pouco parcial. O suposto perito nestas coisas (um fulano que deve ser fanático do CSI Miami) vai ao ponto de dizer que a casa – a crime scene – apesar de estar fechada, não tinha fita da polícia. Reparem, não tinha a fita da polícia a cercá-la. Grave, muito grave, no entender do perito.

Tudo o resto faz parecer que Portugal é um país ao melhor estilo dos filmes do Zorro (os antigos, não os do Banderas) onde a autoridade é, no mínimo, desleixada e incompetente.

Sem comentários.

Depois há o responsável da PJ que vem dizer que a polícia inglesa só dá relevo às pistas que favorecem os McCann. O que é isto? Como é que alguém com responsabilidade na matéria ( não estamos num qualquer CSI) diz uma coisas destas?

É que, das duas uma: ou tem provas, engole e apresenta resultados que contrariam a “tese da polícia inglesa”, ou não as tem e não pode abrir o bico.

Para completar a circo, o superior desse senhor resolve demiti-lo.

Está instalado o circo, em grande parte fomentado pelos próprios pais, e o que interessa é fazer mais uma manchete para encher os jornais e gerar mais controvérsia.