Archive for March, 2006

Marisa

March 26, 2006

Ouvi os dois últimos discos da Marisa Monte e fiquei rendido.

São duas obras magníficas. Criativas e com uma sonoridade a fazer lembrar que ela faz ( melhor) música, mesmo quando está sozinha.

Dos dois, até agora,  gostei mais do Universo ao meu Redor.

Recomendo para quem gosta de mpb para além do óbvio.

 

 

 

disco_universo.jpg

disco_infinito.jpg

Advertisements

São 23:44

March 23, 2006

… e eu estou no escritório a tentar acabar um trabalho e a perceber que o sábado e o domingo ( contando também com a sexta) já eram.

A J. está aqui ao pé a jantar e eu vou mas é ter com ela e dar-lhe beijinhos.

Como diz a Bjork, there’s more to life than this.

Saudades de Londres

March 22, 2006

“This is Leicester Square. Change here for the Picadilly line. The next station with this train is Charing Cross. Stand clear for the closing doors”.

Saturday night

March 22, 2006

O jantar de Sábado foi em casa da Alentejana e do Padrinho.

O pretexto foi mais um aniversário do Padrinho. O jantar foi simpático e reencontrei o Pedro e a Dee, que já não via há precisamente um ano.

Para além de terem sido muito elogiados ( a Cat disse que o Pedro tinha um cabelo fixe e que a Dee “é muito gira”), dei uma volta no tal smart que eles compraram. Não me dei mal, apesar de me fazer muita confusão as mudanças automáticas.
Mais confusão ainda me fez o sítio por onde andei e acabei perdido. Não fosse o telemóvel e a buzina do smart e estariam hoje a fazer uma nova versão do Blair Witch.

Os dias de Cunningham

March 17, 2006

Li mais um livro do Michael Cunningham.

Depois  Sangue do Meu Sangue, Uma Casa no Fim do Mundo e o magnífico As Horas ( que li duas vezes, fascinado pelo personagem da Virginia Woolf), chegou a vez de Specimen Days, Dias Exemplares na tradução.

Este foi o livro que gostei menos. Uma América em 3 tempos, onde paira o espírito de Walt Whitman, personagem que não me era familiar.

São 3 contos, todos eles ligados por entre si. Dos 3 gostei muito do segundo que retrata uma América em fase de ressaca do 11/09. Meninos bomba que matam por amor.

É um livro que deixa um sabor amargo no fim mas que vale a pena ler.

Cover-Specimen-H.gif

Back!

March 11, 2006

Depois de um intermezzo, onde estive sem paciência para escrever e aproveitei para ir à minha vida, aqui estou, sobretudo porque alguém muito especial se queixou da ausência de notícias.

Desde 19 de Fevereiro, aconteceram muitas coisas, temos um novo presidente, o Benfica ganhou ao Liverpool e vai jogar com o Barça, comprámos o nosso office, a minha filha está apaixonada – falou ontem ao telefone com o L.,que telefonou porque ela esqueceu-se dos t.p.c. na escola,- e o mundo aguarda pacientemente pela chegada da gripe das aves, deixando de prestar atenção à sida, à fome e à miséria.

A guerra vai bem e, ao que parece, o Irão é a próxima vítima.

Os óscares já passaram, com um Jon Stewart moderado e com uma vitória de um filme que foi para mim uma belíssima surpresa.
Tenho andando tão cansado e com tanto trabalho que não tenho tido tempo nem para dar sinais de vida.
Digo sempre que para a semana que vem é que é.
Vamos lá ver.

É bom estar vivo e ter alguém que me dá muito mimo sobretudo nas horas mais difíceis.